Delírio coletivo

Revista Flash nº23

O advogado deve ser atuante em defesa da Lei, mesmo que desagrade a alguns.  Mas desafia inteligência mediana ver os advogados de defesa dos juízes acusados, alegarem que, as ligações telefônicas foram interpretadas errôneamente.  

Em uma de suas bravatas, o advogado de defesa do Juiz  Rocha Matos disse que as informações reveladoras de sua ex-Mulher Norma, indagando se ele queria passar lá para pegar a “grana da corrupção”  era uma conversa de inimigos, pois tentava incriminá-lo.

Detalhe: O próprio Rocha Matos, no mesmo diálogo confirma a sua intenção, e Toron, é também advogado da própria Norma.

Diante de centena de evidências, para os advogados de defesa, o TRF acolheu denúncia “fantasiosa”.

Fica, então, esclarecido, QUE TODOS NÓS SOFREMOS DE DELÍRIO COLETIVO.

Ricardo Azevedo Leitão