Liberdade de imprensa I

Revista Flash nº24

Danuza Leão foi absolvida de pedido de indenização feito pelo Juiz Mello Porto do Rio de Janeiro.   Consta que em nota entitulada  “salve-se quem puder”  a conhecida Colunista Carioca teria ofendido a honra do Juiz, por informar procedimentos em que era acusado de mau uso de verbas públicas, nepotismo e tráfico de influência.

Mello Porto, assumiu a presidência do TRT carioca, exatamente no curso do mandato de seu primo Fernando Collor, e respondia a procedimentos adminsitrativos envolvendo as denúncias no próprio Tribunal Superior do Trabalho.

O Supremo Tribunal Federal absolveu Danuza sob o argumento de que o título da nota empresta crítica pessoal  inerente à liberdade de imprensa e não tinha o intúito de ofender.

Ricardo Azevedo Leitão